Cárcere privado de idosos na quarentena

março 15, 2021
Cárcere privado de idosos na quarentena


O cárcere privado, segundo o código penal brasileiro, é um crime que consiste em manter alguém em um confinamento, privando essa pessoa de liberdade em um local fechado, contra sua vontade. É tirar de alguém o direito fundamental de ir e vir.


Após definir o que é cárcere privado, convido o leitor a fazer a seguinte reflexão: e se eu fosse impedido(a) de ir ao supermercado, à farmácia, ao banco para movimentar a minha própria conta ou, até mesmo, à casa de um parente que gosto muito e que está muito debilitado, precisando de companhia?


Parece uma ideia absurda tirar esse direito de alguém. Tão absurda que os serviços que citei acima foram enquadrados como essenciais na pandemia de COVID-19, para que ninguém fosse privado do acesso a eles. Mas, então, porque se vê tantos casos de idosos que são proibidos de sair de casa para ir a algum lugar?


Deixo claro que não estou me referindo a idosos que não veem problemas em outras pessoas fazerem todas as suas demandas, nem a idosos que não tem condições físicas, econômicas ou mentais de saírem de casa. Estou falando sobre idosos que desejam sair, e têm condições para isso, mas são, literalmente, trancados em casa.


Não sinto que há maldade nesse ato, mas, sim, proteção. Há o medo de que um idoso, que é um parente querido, se contamine e venha à óbito, por isso, o melhor que se faz é mantê-los a qualquer custo longe das ruas. Mas será que pode se justificar um crime com uma intenção de cuidado?


O cuidar, em si, obviamente, não é errado. Porém, "cuidar" privando alguém de sua própria liberdade é algo desumano, independentemente do quanto doa reconhecer isso. O caminho certo é a conversa e a conscientização desses idosos de que há pessoas mais novas que podem ter mais agilidade e cuidado ao fazer as coisas, evitando uma contaminação por descuido. Mas não há como proibir alguém, com suas faculdades mentais em perfeito estado, de sair de casa.


Não dá para determinar aos idosos que eles são incapazes de fazerem as coisas com cuidado, por conta própria. É como tratá-los como crianças pequenas, que precisam obedecer aos pais, sem ter sua própria vontade considerada. É bom que se evite a saída deles, mas fazer uma proibição extrapola os limites. Não apenas o limite da lei, mas, também, o limite humano.


Idosos são seres humanos criados, experientes, vividos, capazes, cuidadosos, detentores de vontade própria e independentes. Uma privação de liberdade não deve ser tida como cuidado. Cuidar deles é justamente lhes oferecer liberdade, como a opção de alguém se disponibilizar a fazer as coisas por eles. Mas a decisão final de cada um precisa ser respeitada.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.